Vinda da Familia Real Portuguesa para o Brasil


Por que a familia portugesa veio para o brasil ?

A França, que tinha como imperador Napoleão Bonaparte, estava em plena expansão teritorial e via na Inglaterra seu principal inimigo, haja vista que essa era contra toda essa expansão. Então, o Império Francês decretou o Bloqueio Continental em 1806, em que Napoleão determinava que todos países europeus deveriam fechar seus portos para o comércio com a Inglaterra, a fim de enfraquecer suas exportações e causar uma crise industrial.


ndice.jpg



- Abertura dos Portos Quais as medidas foram tomadas ?


D. João adotou várias medidas econômicas que favoreceram o desenvolvimento brasileiro. Entre as principais, podemos citar: estímulo ao estabelecimento de indústrias no Brasil, construção de estradas, cancelamento da lei que não permitia a criação de fábricas no Brasil, reformas em portos, criação do Banco do Brasil e instalação da Junta de Comércio.


VTNC.jpg

- Independência do Brasil

-Quem fez a nossa independência ?

- Proprietários de Terra ?


A chamada Guerra da Independência estendeu-se de 1822 a 1824, no contexto do processo de Independência do Brasil, entre 1808 e 1825, quando esta foi formalmente reconhecida por Portugal e pelo Reino Unido. A Guerra da Independência acabou por ser uma guerra civil Luso-Brasileira, já que Portugueses e Brasileiros combateram em ambos os lados.
O que inicialmente começou como uma rebelião anti-lusitana em Salvador em 18 de fevereiro de 1822, se transformou após a proclamação da independência, às margens do riacho Ipiranga a 7 de setembro de 1822, em lutas mais encarniçadas nas regiões onde, por razões estratégicas, se registrava maior concentração de tropas do Exército Português, a saber, nas então Províncias Cisplatina, da Bahia, do Piauí, do Maranhão e do Grão-Pará.
Recorde-se que a maior parte da oficialidade era de origem portuguesa. Desse modo, o governo brasileiro, através do Ministro José Bonifácio de Andrada e Silva, adotou as providências para eliminar a resistência portuguesa. Para esse fim providenciou a compra de armas e navios, o recrutamento de tropas nacionais e o contrato de estrangeiros (mercenários), bem como medidas repressivas como o confisco de bens e a expulsão daqueles que não aceitassem a emancipação política do Brasil. No plano econômico, proibiu-se o comércio, e, no diplomático, autorizou-se a guerra de corso, contra Portugal.